PUC-Rio

Voltar

Nova Consulta

Jornal/Revista: Jornal do Brasil
Data de Publicação: 18/08/2004
Autor/Repórter: Ana Beatriz Corrêa

A NOVA 'ESCRAVA ISAURA' DE HERVAL ROSSANO

Diretor diz que quer incomodar um pouco a Globo

SÃO PAULO - A Rede Record está apostando todas as fichas para alcançar o segundo lugar na guerra pela audiência. Atualmente, o principal investimento do grupo é no núcleo de dramaturgia, que ganhou o reforço de peso do diretor carioca Herval Rossano. A primeira tacada da Record será a nova versão de Escrava Isaura., o maior sucesso internacional da Globo Filmes.

- Sugeri vários títulos que seriam interessantes para darmos a largada, mas acredito que Escrava Isaura vá funcionar perfeitamente, já que existe uma geração inteira que não conhece a obra - diz Herval Rossano, responsável pela versão original, exibida pela Rede Globo em 1976.

As gravações da novela começaram no início de agosto numa fazenda em Rio Claro (SP), onde cerca de 150 pessoas, entre equipe e elenco, gravaram os 20 primeiros capítulos da trama.

- A Record está investindo pesado e me disponibilizou alguns dos melhores equipamentos e profissionais do mercado. Tenho certeza que não deixaremos nada a desejar - diz Herval, que, para essa tarefa, contará com os nomes de Patrícia França, Jackson Antunes, Mayara Magri e do veterano Rubens de Falco que, em 1976, marcou como o perverso Leôncio e agora dará vida ao Comendador Almeida, pai do vilão.

- Acredito no sucesso desta obra, pois o tema é atemporal. Devemos discutir a liberdade em qualquer época, já que somos constantemente colonizados - diz o ator.

O papel de Isaura, que levou Lucélia Santos ao estrelato, será encarado pela ex-paquita Bianca Rinaldi. Para Herval, que testou atrizes como Mel Lisboa e Cléo Pires, Bianca está pronta para a empreitada.

- Ela é talentosa, agarrou a oportunidade com unhas e dentes. Tenho certeza que este personagem será um marco na sua carreira - diz Herval, que terá a colaboração de Emílio Di Biasi na direção da trama.

Quem assina o novo roteiro é Ana Maria Nunes e Tiago Santiago. Herval Rossano - dispensado da Rede Globo após 30 anos de trabalho - se mostra confiante com o novo desafio.

- Não vou me preocupar com a audiência. Sei que a Globo é uma grande potência e tenho que respeitá-la, mas se eu conseguir incomodar um pouquinho já me darei por satisfeito - diz Herval, que já foi uma pedra no sapato da emissora carioca quando dirigiu, na Machete, o sucesso Dona Beja, em 1987.

Quanto a possíveis problemas de percurso em relação à postura religiosa da Record, o veterano diretor é catedrático.

- Recebi carta verde da emissora. A trama não sofrerá nenhum tipo de censura.

Voltar

Fonte: Banco de Dados TV-Pesquisa - Documento número: 101018