PUC-Rio

Voltar

Nova Consulta

Jornal/Revista: O Globo
Data de Publicação: 12/12/2004
Autor/Repórter: Simone Mousse

MUITO SE CRIA EM TV, SIM

A história que vai ao ar diariamente na Rede Record às 19h não é um remake de “Escrava Isaura”, exibida pela Rede Globo em 1976 e escrita por Gilberto Braga. O autor da versão atual, Thiago Santiago, conta que já precisou fazer esta afirmação centenas de vezes desde que sua novela estreou.

— Eu respondi isso outro dia num grupo de discussão sobre a novela na internet, quando me perguntaram se eu tenho medo de sofrer processo por plágio. Não tenho o menor medo, porque não estou plagiando o Gilberto Braga — diz Santiago.

Quem assiste sabe: vários personagens e algumas tramas de agora não estiveram na primeira versão. Quem disse que na TV nada se cria, tudo se copia?

— Não houve nenhuma recomendação para se fazer absolutamente nada baseado na novela da Globo. Ninguém reviu os capítulos, nem tivemos acesso a eles. A orientação que tivemos foi para nos ater ao livro do Bernardo Guimarães. Mais da metade das personagens desta nova versão é criação minha — garante o autor. — Tomásia (Mayara Magri) , Gabriel (André Fusko) , Coronel Sebastião (Paulo Figueiredo) , Helena (Fernanda Nobre) , Bernardo (Christovam Neto) , toda a história do quilombo, as famílias de Álvaro (Theo Becker) e Geraldo (Caio Junqueira) , Perpétua (Sílvia Bandeira) , Branca (Renata Dominguez) , Dr. Paulo (Fábio Junqueira) , as personagens do bordel... Tudo isso é criação minha. A Rosa nesta versão é completamente diferente, ela é meia-irmã de Malvina (Maria Ribeiro) .

Além dos personagens, algumas histórias que existiam na primeira versão e no livro foram ligeiramente alteradas.

— Vi alguns capítulos da primeira versão há quase 30 anos e nem lembrava. A Malvina do Gilberto Braga morria no capítulo 30 da primeira versão, e na minha novela ela não morre. O Comendador (Rubens de Falco) não morria na novela dele e ainda se casava de novo. Na minha versão, ele já morreu — explica ele. — Tenho absoluta segurança em relação à originalidade da minha versão.

Apesar de inspirações próprias, Santiago diz que é fiel a algumas características da obra de Bernardo Guimarães, que dá nome à novela da Record:

— Pode-se dizer que sou fiel ao livro no que diz respeito a Isaura, Leôncio, Almeida, à madrinha, Malvina, Henrique, Belchior e Martinho.

Voltar

Fonte: Banco de Dados TV-Pesquisa - Documento número: 104915