PUC-Rio

Voltar

Nova Consulta

Jornal/Revista: O Globo
Data de Publicação: 29/05/2005
Autor/Repórter: Simone Mousse

'O CASARÃO' VAI SER REVISITADO

Adiada por pelo menos dois meses, a novela de Lauro César Muniz que vai inaugurar o horário nobre de teledramaturgia da Rede Record só deverá ir ao ar em novembro. Explica-se: a emissora ainda busca alguém de peso para a direção. Especula-se os nomes de Cininha de Paula, que hoje está à frente do “Sítio do Picapau Amarelo”, e de Mário Márcio Bandarra, que dirige o “Zorra total”. A sinopse já foi aprovada: a saga de um empresário do ramo de agronegócios durante 50 anos de sua vida, começando em 1955. A proposta é juntar idéias de quatro sucessos do autor: as novelas “40 anos depois” (exibida em 1971 pela própria Record), “O casarão” (1976) e “Escalada” (1975) e a peça “Luar em preto-e-branco” (1992). Ano passado, o autor manifestou a vontade de reescrever “O casarão” para que a história, que se passava entre 1900 e 1976, chegasse até os dias de hoje.

— As passagens de tempo eram interessantes, nada de tecnologia: abria-se uma porta em 1936 e estava-se em 1976 — disse ele, naquela época.

A história de Antônio, o protagonista, terá duas fases: a primeira, a da ascensão; a segunda, a da queda. Para contar as duas iniciais, Lauro César Muniz usará elementos de “Escalada” (na qual um homem de Minas Gerais muda-se para o interior paulista buscando sucesso social e na carreira política) e “40 anos depois”. Para falar da decadência do empresário, o autor vai se inspirar em “O casarão” (a história de cinco gerações de uma família) e “Luar em preto-e-branco”.

A trama terá como pano de fundo acontecimentos políticos que marcaram o século XX. A saga de Antônio começará quando ele resolver cultivar algodão. Vai prosperar. Depois, investirá em cana, soja e borracha. Mais tarde, perderá todo o poder e, velho, voltará à cidade natal para recuperá-lo.

Voltar

Fonte: Banco de Dados TV-Pesquisa - Documento número: 109863