PUC-Rio

Voltar

Nova Consulta

Jornal/Revista: Zero Hora
Data de Publicação: 14/01/2007
Autor/Repórter:

CARA DE BONECA, ALMA DE ATRIZ

Juliana Silveira retorna à TV depois de "Floribella"

Há alguns anos, era quase impensável um ator recusar um papel para uma novela das oito na Globo. Recentemente, Juliana Silveira disse "não". E sem pestanejar. Distante da telinha há seis meses, desde que acabou a bem-sucedida novela infanto-juvenil Floribella, na Band, a atriz recebeu convites de três emissoras. A própria Band queria a loirinha para um projeto infantil que só seria exibido em um ano - para Juliana, tempo demais. A Globo propôs a ela interpretar uma prostituta em Paraíso Tropical, de Gilberto Braga.

- Como eu iria aceitar esse papel e jogar no lixo um trabalho de dois anos com o público infantil? Com 30, 35 anos faço todas as prostitutas. Fico até nua. Mas agora, não - conta a atriz, de 26 anos.

Em seguida, a Record acenou com a proposta mais interessante: um contrato de quatro anos como atriz, mas sem descartar um programa infantil. Juliana estréia na emissora em março, na novela Luz do Sol, que substitui Bicho do Mato na faixa das 20h. Na história de Ana Maria Moretzsohn, Juliana será Nina, uma sedutora garota de 19 anos que volta ao Brasil após estudar nos Estados Unidos e entra em conflito com a mãe, Belquiss (Françoise Fourton), que sempre "sufocou" a filha.

Com disco de ouro, DVDs, boneca e um sem-fim de produtos infantis, a atriz tem tido a terapia como grande aliada para se libertar da personagem e do enorme sucesso alcançado em Floribella.

- Não sabia mais em que hora eu separava a Flor da Juliana. As primeiras coisas que fiz para isso foram cortar o cabelo, tirar o "tênis da sorte" e reorganizar a cabeça - diverte-se.

Quando avalia sua carreira, a atriz assume que tudo foi meio por acaso. Desde quando foi assistir ao Clube da Criança, programa de Angélica na extinta Manchete, em 1991, e deixou os estúdios com um convite para virar Angeliquete. Ou mesmo quando foi chamada para protagonizar Malhação, em 2003, como Júlia.

- Ainda bem que sempre segui minha intuição no trabalho. Lembro que na época de Malhação queriam até modificar meu corpo, colocar silicone, diziam que eu tinha de fazer lipo. Não sou uma boneca. Sou uma atriz - avisa.

Voltar

Fonte: Banco de Dados TV-Pesquisa - Documento número: 127576