PUC-Rio

Voltar

Nova Consulta

Jornal/Revista: Meio & Mensagem
Data de Publicação: 23/07/2007
Autor/Repórter: Cláudia Bergamasco

RIC-TV INVESTE EM GRADE LOCAL NO PARANÁ

Em termos de comunicação de massa, o Paraná parece não ter do que reclamar. Depois da RPC, que decidiu investir mais em urna programação essencialmente local, a RIC-TV (Rede Independência de Comunicação), emissora de Londrina, anuncia o início de uma grade local de programação, com o intuito de valorizar a cultura paranaense. A RIC-TV é uma empresa da RIC, afiliada da Rede Record no Estado, que neste ano completa 20 anos de atividades. A empresa também tem negócios nos segmentos de rádio e internet.

A partir de agosto, a programação local da RIC-TV será produzida pela própria emissora, que vai inaugurar, em Londrina, um Centro de Produção de Programas. Segundo o vice-presidente da RIC, Leonardo Petrelli Neto, o local terá a mesma estrutura de uma grande emissora de TV, com equipamentos digitais de última geração e profissionais qualificados da região. Os programas serão enviados por fibra óptica para a retransmissora de Cornélio Procópio, de onde serão irradiados para toda Londrina. O centro demandou investimentos de R$ 800 mil.

Para Petrelli, a decisão de investir numa programação regional é estratégica, pois dá à emissora maior competitividade. "Este é um dos nossos principais diferenciais", diz o executivo, enfatizando que o slogan da RIC-TV é "100% Paraná". Segundo ele, programação local representa "mais de 150 horas mensais". A meta é chegar à vice-liderança do horário nobre da programação local, por volta da hora do almoço. Hoje, o programa com maior participação de audiência é a novela Vidas Opostas, que faz parte da grade nacional, com 18,1%, segundo levantamentos da própria emissora.

Outro diferencial da RIC está na área comercial, que criou um sistema que facilita os negócios entre a empresa e seus anunciantes. Trata-se do SIM - Soluções Inteligentes em Mídia, pelo qual a própria RIC desenha a estratégia de mídia certa para cada um dos seus clientes, combinando televisão, rádio, internet ou oferecendo cada um desses meios de comunicação separadamente.

Nos próximos dois anos, a empresa tem planos de expandir a cobertura de tevê para todo o Paraná, o que inclui a implantação de núcleos de jornalismo e de programas regionais em todas as praças importantes do Estado. Centros de produção de programas nos mesmos moldes do que será inaugurado em agosto, em Londrina, estão previstos para serem abertos em Cascavel, em setembro, e em Maringá, ao longo do segundo semestre. Os estúdios de Curitiba devem ser ampliados com a criação de uma News Room (redação de programas jornalísticos e estúdio integrados) no mesmo padrão da Rede Record. Segundo Petrelli, o investimento para a construção de novos estúdios, contratação de profissionais e compra de equipamentos é de cerca de R$ 5 milhões. Também consta dos planos da empresa desenvolver uma unidade independente de eventos e promoções.

A Rede Record tem uma participação de 30% na RIC-TV. Controlada pelo Grupo Petrelli, a RIC foi criada em 1987 como uma afiliada da Rede Manchete. A parceria acabou em 1995, quando o grupo decidiu associar-se, nos anos 90, à emissora controlada pelo bispo Edir Macedo. O faturamento da RIC não é revelado, mas Petrelli afirma que o grupo está crescendo a urna média de 30% ao ano, alavancado principalmente pelas áreas de TV e rádio.

A Jovem Pan Ponta Grossa FM foi inaugurada no mês passado. Neste mês, entra oficialmente no ar a Classic Pan Maringá; a Jovem Pan Curitiba FM está no ar desde 1994. No total, a RIC diz cobrir mais de 85% do potencial de consumo do Paraná, com quatro geradoras de tevê (Curitiba, Cornélio Procópio, Maringá e Toledo), 42 retransmissoras e seis divisões comerciais. "Hoje cobrimos uma região com mais de 8,5 milhões de habitantes", afirma Petrelli.

Voltar

Fonte: Banco de Dados TV-Pesquisa - Documento número: 133081