PUC-Rio

Voltar

Nova Consulta

Jornal/Revista: Jornal do Brasil
Data de Publicação: 25/04/1992
Autor/Repórter: Ana Cláudia Souza

RECORD CHEGA AOS CARIOCAS PELAS ONDAS DA TV RIO

Quem assistia, quinta-feira retrasada, aos programas noturnos da TV Rio, canal 13, tomou um susto. Subitamente, programação e imagem melhoraram de qualidade, a emissora alcançou pontos da cidade onde antes chegavam, apenas chuviscos e o som ganhou sotaque paulista. Desde então, a emissora que começou em 86 com a promessa de ser alternativa, passou por maus bocados e virou uma grande vitrine de videoclips de qualidade duvidosa, filmes japoneses de péssima safra e muita pregação evangélica passou a integrar, em caráter experimental, a Rede Record, com sede em São Paulo.

Da produção local sobreviveram apenas os jornais Informe Rio, com meia hora de duração, e Repórter Rio, no ar de hora em hora, que entram na programação de segunda a sexta-feira. "A TV Rio tinha uma imagem muito ruim e estava hibernando", reconhece o diretor-executivo da emissora, José Octacílio Pereira. Segundo ele, a nova afiliada da Rede Record será inaugurada oficialmente num prazo de 20 dias a um mês, e dentro de quatro meses - ou assim que as obras civis no prédio sede da emissora, na Cidade Nova, Centro do Rio - começarão a ser produzidos programas locais.

Por enquanto, entram todos os programas produzidos pela Record de São Paulo, à exceção de alguns "essencialmente paulistas", como o TV Mappin e Shop Tour. Estes serão substituídos por sessões de filmes, batizadas Primeira sessão (sábados, das 9h às 11h), Cine Rio (sábados, das 21h30 às 23h30) e Sessão Rio (dois filmes em seqüência, aos domingos, das 11h às 15h). Clip TV, aos sábados, das 23h30 à Oh, foi outra solução encontrada para substituir com música a programação paulista.

As mudanças na TV Rio ocorreram depois da venda de 49% das ações que pertenciam a Múcio Athayde - dono do Sistema Múcio Athayde de Comunicação, com uma emissora de TV em Goiânia, quatro rádios e três jornais - a um grupo de nove empresários cariocas, encabeçados por Claudomir de Andrade. A maior parte das ações (51%), no entanto, continua em mãos do pastor Nilson do Amaral Fanini, presidente da TV Rio, que recebeu a concessão do canal em 1983, do então presidente João Baptista Figueiredo.

Voltar

Fonte: Banco de Dados TV-Pesquisa - Documento número: 150693