PUC-Rio

Voltar

Nova Consulta

Jornal/Revista: Jornal do Brasil
Data de Publicação: 24/06/1991
Autor/Repórter: Ricardo Leopoldo

PAULO OCTÁVIO MANTÉM OFERTA PELA MANCHETE

BRASÍLIA - A venda da TV Manchete por US$ 200 milhões a um grupo de dez empresários coordenados pelo deputado federal Paulo Octávio de Oliveira (PRN-DF) foi confirmada ontem pelo parlamentar, que acredita na realização do negócio a médio prazo. Segundo o deputado, afilhado de casamento de Adolpho Bloch, o empresário manifestou interesse da venda da TV no Rio de Janeiro há um mês, quando Paulo Octávio conheceu as instalações da emissora, localizada na Praia do Russell. "Doutor Bloch tem um amor muito grande por seu parque gráfico e a TV não permite que ele dedique o tempo que deseja para cuidar deste empreendimento, comentou o deputado, amigo íntimo do presidente Collor.

Já o proprietário da rede Objetivo de ensino, João Carlos Di Gênio, um dos empresários dispostos a participar do pool para a compra da Manchete, considera o negócio praticamente consumado. Ele acrescenta que as negociações poderão envolver vários imóveis do grupo Bloch. Di Gênio, acionista da TV Jovem Pari, em São Paulo, é considerado empresário do ramo e já tem projetos para a Manchete. "Pretendo instalar um jornalismo de peso, em várias áreas", diz.

Dívida - Paulo Octávio admite que Adolpho Bloch mostrou-se preocupado com o pagamento de uma dívida de US$ 20 milhões, contraída há alguns anos para a ampliação da Rede Manchete. Empresário bem sucedido do setor imobiliário, Paulo Octávio afirmou a Bloch que, devido ao volume do investimento, a compra deveria ter a participação de dez grupos diferentes, com cotas iguais para cada sócio. Ele, então, pediu que Bloch lhe enviasse um dossiê administrativo com todas as informações sobre a saúde financeira da Televisão. "Devo receber o relatório em breve, e tenho 90 dias, a partir do entrega do dossiê, para concluir o negócio".

Surpreso pela divulgação do acordo, até este fim de semana sigiloso, o deputado do PRN disse que apenas convidou João Carlos Di Gênio para participar da compra da TV Manchete. "A priori não tenho preconceito com a nacionalidade ou o ramo de atividade destes futuros sócios", afirmou Paulo Octávio. "Se empresas do setor de comunicação manifestarem interesse, incluindo o JORNAL DO BRASIL, suas propostas serão estudadas com carinho", afirmou.

Profissionais - Como o principal negociador da compra da TV Manchete, Paulo Octávio ensaiou ontem alguns passos em sua futura, mas não confirmada, área de atividade empresarial. "Caso a venda seja confirmada, pretendo contratar o principal executivo que entenda de administração de grandes grupos de telecomunicações", afirmou. Ele manifestou a intenção de compor a diretoria de sua emissora exclusivamente com profissionais de mercado. "Essa é a melhor solução gerencial, mesmo porque uma empresa com dez sócios, precisa ter uma direção eficiente, sem envolvimentos com seus proprietários", disse,

Embora ainda não estabeleça planos mercadológicos para a atuação da televisão, Paulo Octávio já vê com bons olhos a exploração do telejornalismo, como é realizado nos Estados Unidos com a rede de TV a cabo CNN.

Voltar

Fonte: Banco de Dados TV-Pesquisa - Documento número: 15779