PUC-Rio

Voltar

Nova Consulta

Jornal/Revista: Folha de S. Paulo
Data de Publicação: 18/04/1993
Autor/Repórter: Annette Schwartsman

A ADORÁVEL LUCY ESTÁ DE VOLTA

"I Love Lucy", um dos seriados de maior sucesso na história da TV em todo o mundo, desde a sua criação no início dos anos 50, volta a ser exibido no Brasil, agora pela Cultura, que comprou os episódios com as dublagens originais da primeira versão nacional

Lucille Ball, a ruiva favorita da TV, está de volta. A Cultura acaba de comprar parte dos 178 episódios do seriado de TV que fez sucesso em 83 países durante mais de 40 anos. "I Love Lucy" será exibido a partir do dia 23, aos sábados e domingos, às 20h, com as dublagens originais da primeira versão brasileira.

Para quem não lembra, "I Love Lucy" narra o cotidiano de um casal de classe média norte-americana, Lucy e Ricky Ricardo, interpretados pelo casal Lucille Ball e Desi Arnaz. Ela é uma dona de casa abilolada. Ele é músico e trabalha em uma boate de Manhattan. Os vizinhos Ethel e Fred Mertz (Vivian Vance e William Frawley) são testemunhas, cúmplices ou vítimas das situações inverossímeis em que Lucy se mete. A personagem representava, nos anos 50, a "inocência" da América, o ideal de esposa feliz.

Primórdios da "sitcom" - A série tornou-se exemplo do que é possível criar em TV a partir de uma situação simples, poucos cenários e poucos personagens. Cada episódio é um clássico. As tramas incluem a decisão de Lucy de criar galinhas e seu emprego em uma fábrica de chocolate. Lucy imita Harpo Marx, convida o Super-homem para a festa de aniversário do filho e tenta conseguir as impressões digitais do astro John Wayne, entre outras.

O seriado dirigido por William Asher estreou em 1951, dando início ao gênero da comédia de costumes. Foi produzido até 1957. Ficou no ar nos EUA por 23 anos ininterruptos. Em 1952, 67% dos lares americanos sintonizavam a CBS, às segundas à noite, para assistir às peripécias da adorável Lucy.

O ponto culminante do programa foi em 19 de janeiro de 53, quando Lucy deu a luz a Little Ricky no vídeo - enquanto na vida real nascia o seu segundo filho, Desi Arnaz Jr.

Em 1986, a atriz tentou reviver o sucesso com uma nova série - "Viver com Lucy" - na qual interpreta uma avó com a mesma personalidade - só que vegetariana e adepta do "jogging". A versão teve vida curta.

Começo difícil - Antes de fazer sucesso com "I Love Lucy", Lucille Ball amargou um começo difícil. Foi aconselhada a desistir da profissão de atriz pelos professores da Escola Dramática John Murray Anderson, de Jamestown, Nova York, onde estudou por um ano. Persistente, arrumou seu primeiro emprego na área em uma companhia ambulante. Acabou despedida por falta de experiência. Foi vender refrescos em uma confeitaria da Broadway, até arrumar trabalho como modelo em uma loja da Sétima avenida. Ali, chamou a atenção de Hattie Carnegie, um estilista da moda, que a convidou para desfilar suas criações. Pouco depois, já era uma modelo de sucesso.

Surge então outro bom motivo para abandonar tudo: um acidente de automóvel e o diagnóstico de que não voltaria a andar. Foram mais três anos de perseverança para se restabelecer e recuperar o antigo emprego.

De volta, estampa capas de revista e é descoberta por Hollywood. Em 1933, aos 22 anos, recebe de Samuel Goldwyn convite para ser uma corista no filme "Escândalos Romanos". Graças ao "debute" cinematográfico, a Columbia lhe propõe um contrato, que acaba não saindo.

Incansável, a jovem atriz arranja trabalho como extra nos estúdios da Paramount. Em 1935, atua em "Roberta", ao lado de Ginger Rogers e Fred Astaire. Este desempenho lhe vale um contrato com a RKO.

Seu trabalho "A Gril from Paris" recebe elogios e surge a oportunidade de atuar na Broadway, no musical "Hey Didle, Didle". De volta a Hollywood, participa dos filmes "Stage Door" e "Too Many Girls". No segundo, contracena com o ator e músico cubano-americano Desidério Alberto Arnaz y de Acha 3?, ou Desi Arnaz, com quem se casa em 1940. Alguns anos mais tarde, o casal cria a produtora Desilu, que viria a produzir as telesséries "Missão Impossível" e "Jornada nas Estrelas".

Entre os 57 filmes em que atuou, Lucille ficou mais conhecida pelos papéis cômicos que fez ao lado de Bob Hope como em "A Menina dos Meus Olhos" (49), entre outros.

Em 1960, Lucille se separa de Desi. No ano seguinte, casa-se com o cômico Gary Morton. Em 1989, sofre um ataque cardíaco e recebe um transplante de aorta e válvula. Não se recupera e morre em 26 de abril.

Voltar

Fonte: Banco de Dados TV-Pesquisa - Documento número: 21306