PUC-Rio

Voltar

Nova Consulta

Jornal/Revista: Folha de S. Paulo
Data de Publicação: 05/05/1993
Autor/Repórter: Gustavo Krieger

CPI DA TV JOVEM PAN TEM 1ª REUNIÃO

A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do Congresso que vai investigar irregularidades na formação da TV Jovem Pan faz sua primeira reunião hoje e recebe uma nova denúncia.

Os funcionários da TV acusam na Justiça um dos donos da empresa, Antônio Augusto Amaral de Carvalho, de falsificação de documentos. Carvalho é acusado, segundo a ação na Justiça, de forjar a assinatura de dois funcionários no processo em que ele e o sócio Hamilton Lucas de Oliveira pedem a dissolução da emissora.

A Folha telefonou para o escritório de Carvalho na rádio Jovem Pan e foi informada que ele não compareceria ao local ontem. A reportagem telefonou ainda para duas residências de Carvalho em São Paulo. Nos dois locais os empregados disseram que ele não poderia ser encontrado.

Carvalho e Hamilton decidiram tentar dissolver a TV Jovem Pan, mas a proposta de dissolução foi contestada na Justiça pelo terceiro sócio, João Carlos Di Gênio, sob o argumento de que a emissora é viável.

Um grupo de funcionários da TV Jovem Pan pediu à Justiça para entrar no processo, como assistentes na ação de Di Gênio contra a dissolução da empresa. O pedido foi contestado por Carvalho, em 7 de abril deste ano. Ele anexou ao processo um documento com as assinaturas de seis funcionários que diziam ter sido coagidos a assinar a ação.

No dia 30 de abril, os funcionários da TV Jovem Pan José Edson Menezes e João Francisco Neto, que apareciam como signatários do documento anexado por Carvalho ao processo, foram ao 1º DP de São Paulo dizer que suas assinaturas foram falsificadas.

Voltar

Fonte: Banco de Dados TV-Pesquisa - Documento número: 21523