PUC-Rio

Voltar

Nova Consulta

Jornal/Revista: Jornal do Brasil
Data de Publicação: 09/06/1993
Autor/Repórter:

CHEQUE LIGA PC À TV JOVEM PAN

CPI pede à Embratel intervenção na emissora de Hamilton Lucas de Oliveira

SÃO PAULO - A CPI que investiga a suspeita de envolvimento dos empresários Hamilton Lucas de Oliveira, Antônio Augusto Amaral de Carvalho, o Tuta, e João Carlos Di Gênio com Paulo César Farias decidiu encaminhar à Embratel pedido formal de intervenção federal na TV Jovem Pan. O documento será amparado em denúncias de desvio de verbas, permuta irregular de espaço comercial para beneficio particular da direção da emissora, superfaturamento de US$ 5 milhões na construção da sede própria em São Paulo e apropriação indébita de contribuições sociais descontadas dos salários de funcionários.

Assessores do delegado federal João Carlos Sanches Abraços, que investiga as atividades de PC Farias em São Paulo, informaram que a polícia conseguiu localizar pelo menos um cheque apontando o vinculo do esquema PC com Hamilton Oliveira - o mesmo que chegou a comprar a Rede Manchete. O cheque, de 22 de junho do ano passado, no valor de US$ 260 mil, foi emitido pela empresa Cross Financial Corporation - uma das que mais aparecem nas investigações da Polícia Federal - em favor da IBF.

Os deputados da CPI propõem a indicação de um interventor federal e de um funcionário da emissora para a administração.

Visita - "A direção está apostando no sucateamento da emissora", afirmou ontem em São Paulo a deputada Cidinha Campos (PDT-RJ) que, com outros dois deputados da CPI da TV Jovem Pan -Sérgio Spada (PP-PR) e Carlos Kayath (PTB-PA) - estiveram na TV para investigar irregularidades e ouvir reclamações dos funcionários que estão sem receber salários. "Há um interesse deliberado de desmonte da emissora", afirma Spada.

Segundo ele, o esquema da TV Jovem Pan começou a "fazer água" depois das primeiras denúncias sobre o caso PC Farias. A CPI descobriu que Hamilton Lucas de Oliveira, conhecido também por HLO, dono da Indústria Brasileira de Formulários (IBF) - aplicou, entre março e agosto de 1991 - portanto, muito tempo antes de seu nome ser incluído no contrato social - US$ 5 milhões na emissora. "Ele tinha grande segurança de que entraria na TV", observa o deputado Kayath.

Denúncia - Os deputados estiveram também na sede da superintendência da Polícia Federal em São Paulo para obter informações sobre possíveis ligações da TV Jovem Pan com o esquema PC.

Ainda em São Paulo, a CPI fez questão de registrar um boletim de ocorrência no 1° Distrito Policial da Sé, no centro da capital, denunciando Tuta por falsificação de documentos.

Segundo os deputados, ele chegou a encaminhar à 38° Vara Cível da capital um documento fictício, com assinaturas falsificadas, dando conta de que as ações que tramitam na Justiça restringem-se a reivindicações salariais.

Voltar

Fonte: Banco de Dados TV-Pesquisa - Documento número: 21912