PUC-Rio

Voltar

Nova Consulta

Jornal/Revista: Jornal do Brasil
Data de Publicação: 22/07/1995
Autor/Repórter: Márcia Penna Firme e Vera Jardim

A HORA DO RUSH DAS NOVELAS

Estréia de ''Cara & coroa'' e ''A idade da loba'' acirra disputa no início da noite

O horário das sete anda congestionado. A estréia, nesta segunda-feira, das novelas A idade da loba, na Bandeirantes, e Cara & coroa, na Globo, duas semanas após o começo de Sangue do meu sangue, no SBT, vem provocando um alvoroço na programação das três emissoras.

A Globo deu a saída neste jogo de xadrez televisivo ao mudar o horário de seus telejornais locais de 19h45 para 19h. Ou seja, eles deixaram de ir ao ar depois da novela das sete e passaram a ser exibidos após o folhetim das seis. Tornaram-se, portanto, o recheio de um sanduíche formado por História de amor e Cara & coroa. A mexida tem como objetivo segurar a audiência dos jornais. É que eles eram as maiores vítimas da estratégia do SBT de só começar As pupilas do senhor reitor após o término de Quatro por quatro. Só que a decisão global não abalou a emissora de Sílvio Santos, que resolveu acompanhar a mudança da Globo, empurrando sua programação para mais tarde. Assim, o primeiro capítulo de Sangue do meu sangue, que tinha sido anunciado inicialmente para as 19h45 (logo depois, portanto, do antigo horário da novela das sete global), foi ao ar somente às 20h10 - exatamente depois de Quatro por quatro. Mas a estratégia global não foi de todo desperdiçada: ao do SBT bate agora de frente com o Jornal nacional, e não mais com o telejornal local.

A reviravolta da Globo provocou alteração também nos planos da Bandeirantes, que tinha anunciado A idade da loba para as 19h45. A emissora planejava competir diretamente com Sangue do meu sangue. Com o novo cenário, decidiu antecipar sua novela para as 19h. A idéia é que o público comece a ver A idade da loba e não se anime a mudar de canal às 19h15, quando entra no ar Cara & coroa. Um engarrafamento televisivo que vai forçar o telespectador a se desdobrar no controle remoto se quiser acompanhar todas as novelas.

Quem melhor define o fenômeno do sobe-e-desce na programação é o diretor-geral da Bandeirantes, Rubens Furtado: "É como se todos estivessem usando o mesmo elevador, com os andares representando os horários. O SBT entrou junto com a Globo e subiu. A Bandeirantes entrou também, só que desceu''. A postura da Band é de modéstia.

''A Globo faz novela há mais de duas décadas e nós estamos voltando à dramaturgia depois de 12 anos. E as mulheres não têm o hábito de ligar na Bandeirantes", argumenta Furtado. "Em resumo, temos a favor uma boa novela, com bons diretores e uni bom elenco, e o resto todo contra. Mas o cobertor da Globo não pode cobrir a cabeça e os pés ao mesmo tempo. Nós ficamos com os pés."

Antônio Calmon e Wolf Maia, autor e diretor de Cara & coroa, não se assustam com a concorrência e encaram a situação como mais um desafio.

Voltar

Fonte: Banco de Dados TV-Pesquisa - Documento número: 28923