PUC-Rio

Voltar

Nova Consulta

Jornal/Revista: Jornal do Brasil
Data de Publicação: 28/06/1988
Autor/Repórter:

TV RIO SEM DESTINO

O pastor Fanini se cala. Walter Clark não confirma demissão TV Rio sem destino

Fanini mandou a secretária avisar que não receberia ninguém. Clark sumiu desde a quarta-feira passada

A evangélica TV Rio chegou ontem à beira do inferno com a noticia da demissão irrevogável do diretor geral Walter Clark - que não vai à emissora desde quarta-feira passada - oficialmente ainda não confirmada. Até o proprietário da emissora carioca, o pastor batista Nilson Fanini, mandou sua secretária Carla comunicar ao JORNAL DO BRASIL que ontem não receberia ninguém, mas indicou para explicações à imprensa o funcionário José Otacílio Pereira, assessor direto de Walter Clark. Otacílio, porém, não estava oficialmente na casa e todos os demais funcionários de confiança de Walter Clark, ainda não contratados formalmente, não sabiam sequer se hoje voltariam ou não ao trabalho. A secretária de Clark em São Paulo, Beth, informava que o diretor estava em local sem telefone na Região dos Lagos, no Rio, mas sua mulher, Rossana Clark, dizia no Rio o contrário, que ele estava em São Paulo e, quanto à demissão, "só ele pode falar". Os funcionários da emissora foram obrigados pela situação ao pecado da mentira. A secretária de Clark no Rio, Ida, mandou um contínuo avisar aos repórteres que ela não estava na casa, enquanto a recepcionista Patrícia informava que Ida estava ocupadíssima e não'atenderia ninguém. Patrícia, aliás, estreava como recepcionista, tarefa imposta por um memorando do pastor, com data de sexta passada, que obriga aos visitantes ou ex-funcionários

deixar um documento na recepção. Nervosa, entre dentadas num sanduíche e tapas para que o único telefone funcionasse, Patrícia pedia ajuda à segurança. Ao lado da nova determinação de Fanini, uma lista, com a mesma data de sexta passada, de 22 funcionários demitidos.

Logo de manhã, quando os jornalistas tentavam obter uma informação oficial, só estava na emissora um dos sócios-proprietários do pastor, Cláudio Macário, em reunião que, segundo a secretária Esteia, não poderia ser interrompida. Estela informou que o superintendente da TV Rio, Júlio Mendoza, daria explicações sobre a demissão de Walter Clark, mas Julio estava também esperando notícias mais seguras. "Estou na mesma situação de vocês, jornalistas. Quero saber o que aconteceu", disse.

As divergências entre Walter Clark, um experiente profissional que ajudou a fundar, na TV Globo, o "padrão Globo de qualidade" e depois esteve na Rede Bandeirantes, e o pastor Fanini começaram antes que a TV Rio entrasse no ar, dia 1° de junho'. Clark queria adiar a estreia da emissora, preferindo aguardar melhores condições técnicas para a implantação da emissora, mas o apressado pastor não quis esperar. Resultado: a TV Rio entrou no ar com equipamentos de qualidade duvidosa, anunciantes insatisfeitos, uma precária antena retransmissora, além de atraso de pagamento e censura editorial.

Voltar

Fonte: Banco de Dados TV-Pesquisa - Documento número: 7487