PUC-Rio

Voltar

Nova Consulta

Jornal/Revista: Jornal do Brasil
Data de Publicação: 18/05/1996
Autor/Repórter: José Mitchell

GAROTO MORRE IMITANDO A TV

PORTO ALEGRE - O jovem Felipe Boch Tesch, de 15 anos, morreu às 6h40 da madrugada de ontem, no Hospital de Pronto Socorro, com 80% do corpo queimado, após brincadeira com uma bola de fogo, tentando imitar o que vira no programa Ponto a ponto, da TV Globo. A perigosa travessura que também deixou seu irmão, Gustavo, de 17 anos, internado em estado gravíssimo - levou o subprocurador-geral de Justiça do estado, Odilon Abreu, a anunciar que vai pedir a suspensão do programa em todo o país, caso se confirme sua responsabilidade, por estímulo ou incitação, conforme inquérito específico que solicitou à Chefia da Polícia Civil, no início da noite de ontem.

Um dos motivos do pedido do procurador Odilon Abreu foram as declarações do pai dos dois jovens, Renato Tesch, que culpa o programa da Globo pela tragédia familiar. Apesar das acusações, a emissora proibiu seus funcionários de fazerem qualquer comentário sobre o acidente. Segundo determinação da empresa, nada será declarado, enquanto a TV Globo não receber um comunicado oficial sobre o ocorrido, solicitando o pronunciamento da direção. Um funcionário da Globo, que não quis se identificar, defendeu o programa. Segundo ele, o apresentador, Márcio Garcia, está sempre alerta para o perigo da brincadeira, "mostrando o equipamento de proteção utilizado no programa e informando sobre a existência de supervisão de oficiais do Corpo de Bombeiros."

Felipe e Gustavo sempre assistiam ao Ponto aponto nas tardes de domingo, e logo começaram a tentar imitar algumas das brincadeiras apresentadas no programa - como a da bola de fogo, que é empurrada por uma rampa.

Na televisão, os participantes usam roupas de amianto. Na imitação caseira, porém, os irmãos Tesch apenas jogavam álcool na bola, ateavam fogo e promoviam jogos de futebol com amigos, todos eles moradores do bairro Vila Assunção, na Zona Sul de Porto Alegre. Na noite de segunda-feira, a brincadeira chegou a parar por falta de álcool, mas os dois irmãos foram à garagem da casa, para buscar mais. Ao manipularem tonéis de thinner, houve uma explosão, que os feriu gravemente.

Desespero - O pai dos dois jovens, o funcionário público aposentado Renato Tesch, que estava viajando, foi localizado pela Polícia Rodoviária e voltou desesperado para Porto Alegre, acusando o programa da Globo de incentivar brincadeiras perigosas. Felipe teve 80% do corpo queimado e não resistiu, enquanto Gustavo está com queimaduras de 10, 20 e 30 graus, em estado gravíssimo, conforme informações do hospital, no início da noite de ontem. A única parte do corpo não atingida foram os pés.

Além do inquérito normalmente realizado pela polícia em casos morte, o subprocurador-geral Justiça, Odilon Abreu, encaminhou ofício ao chefe da Polícia Civil, delegado José Raldi Sobrinho, pedindo um inquérito paralelo, ''para a apuração de responsabilidades, pôr estímulo ou incitação" do programa Ponto aponto na morte de Felipe Tesch. Odilon antecipou que, se ficar comprovada a responsabilidade da TV Globo, ele vai pedir, através da Coordenadoria das Promotorias de Defesa da Infância e Juventude, "a suspensão definitiva do programa, que é retransmitido no Rio Grande do Sul pela RBS vai ao ar em todo o território nacional".

Voltar

Fonte: Banco de Dados TV-Pesquisa - Documento número: 89143