PUC-Rio

Voltar

Nova Consulta

Jornal/Revista: Jornal do Brasil
Data de Publicação: 20/05/1996
Autor/Repórter: José Mitchell

BRINCADEIRA DA BOLA DE FOGO CAUSA 2ª MORTE

Irmão de rapaz enterrado na sexta-feira também não resiste a queimaduras e pai volta a responsabilizar programa da Globo

PORTO ALEGRE - O jovem Gustavo Boch Tesch, de 17 anos, morreu às 3h30 da madrugada de ontem no Hospital de Pronto Socorro desta capital, tomando-se a segunda vítima fatal de queimaduras causada pela brincadeira da bola de fogo, lançada pelo programa Ponto a ponto, da Rede Globo. Na sexta-feira, morreu o irmão de Gustavo, Felipe, de 15 anos, sepultado no Cemitério Evangélico, como ocorreu ontem com Gustavo.

A Procuradoria da República no Rio Grande do Sul abriu inquérito para apurar a influência do programa na morte dos dois rapazes. Os procuradores Domingos Sávio da Silveira e Maria Hilda Marsiaj Pinto requisitaram uma cópia da fita do programa, exibido aos domingos. O entendimento dos procuradores é de que os jovens estavam sob influência do Ponto a ponto, apontado por Renato Tesch, pai dos dois irmãos mortos, como responsável pela trágica brincadeira.

Os responsáveis pelo programa de TV poderão ser denunciados pela morte dos dois jovens na ação, pública aberta pela Procuradoria da República.

Tragédia - A tragédia ocorreu na noite da última segunda-feira, quando os irmãos Tesch resolveram copiar uma das brincadeiras do Ponto a ponto - empurrar e chutar uma bola de fogo. No programa da Rede Globo, os participantes usam roupas de amianto. Junto com amigos do bairro da Vila Assunção, os dois irmãos iniciaram o jogo, mas como o álcool acabou foram à garagem de casa procurar mais. Encontraram tonéis de tinner (solvente), um dos quais explodiu no contato com o fogo. Os dois irmãos ficaram com os corpos quase que totalmente queimados, sendo conduzidos para o Hospital de Pronto Socorro.

Eles não resistiram aos ferimentos e morreram: Felipe na madrugada de sexta-feira e Gustavo na madrugada de ontem. Paralelamente ao inquérito aberto pela Procuradoria da República, o Departamento de Polícia Metropolitana (DPM) inicia hoje formalmente o inquérito policial determinado pelo Chefe de Polícia, delegado José Raldi Sobrinho.

O delegado cumpriu determinação do Subprocurador-Geral de Justiça do Rio Grande, do Sul, Odilon Abreu, que pediu inquérito específico sobre a responsabilidade do programa da Rede Globo na morte dos dois jovens.

"A televisão deve ter responsabilidade por aquilo que transmite", disse Odilon Abreu. Ele afirmou que vai pedir a proibição do programa, se o inquérito comprovar a responsabilidade do Ponto a ponto na morte dos dois jovens.

Voltar

Fonte: Banco de Dados TV-Pesquisa - Documento número: 99381