PUC-Rio

Voltar

Nova Consulta

Jornal/Revista: Jornal do Brasil
Data de Publicação: 22/04/1995
Autor/Repórter: Rose Esquenazi

SÃO PAULO RECRIA O RIO ANTIGO

'Sangue do meu sangue' vai contar história do Império

Desde que começou a agitar a produção de Sangue do meu sangue, novela de época que estréia no dia 26 de junho, no SBT, Nilton Travesso, diretor do departamento de Dramaturgia, anda provocando uma ciumeira no elenco de As pupilas do senhor reitor. É que os atores e técnicos sentem falta da presença de Travesso, agora distribuindo chamegos entre os atores da próxima novela.

"Não posso liderar sem pensar no problema de cada um. Vamos ter que gravar de 30 a 34 cenas por dia, durante seis a sete meses. Se não houver carinho, as pessoas não agüentam", esclarece. O elenco das Pupilas vai ter que segurar a onda. Mas no coração do papai Nilton há lugar para todo mundo.

Além de contar com apoio total de seu Sílvio Santos, que investe 39 mil dólares por capítulo, o diretor considera as duas novelas anteriores da emissora sucessos inquestionáveis, "Éramos seis'' mexeu com a sensibilidade das pessoas. Já Pupilas teve problemas porque faltaram conflitos. Isso foi resolvido e a trama está conseguindo manter 13 pontos, no primeiro horário. Nosso trabalho é formar um, hábito, mas temos que nos aproximar da qualidade da Globo. De outra forma, o público nos rejeitaria'', avalia.

Grande parte do orçamento da novela vai ser gasto na cidade cenográfica que pretende reproduzir em São Paulo o Rio afrancesado, do Segundo Império.

Nilton Travesso rejeitou a gravação no Rio por conta da poluição. "Entre 1872 e 1888 havia o silêncio de patas de cavalo, de tílburis. Mas vamos fazer externas na Quinta da Boa Vista e no Jardim Botânico."

Além da madrinha Irene Ravache (no papel da princesa Isabel), que deu uma força desde a primeira novela, o diretor convidou novamente a atriz Denise Fraga (da comédia Trair e coçar é só começar). "Ela dará uma virada na carreira já que estava, junto ao público, com um compromisso de ser engraçada."

Na trama que mostra abolicionistas e escravocratas, terão papéis importantes Tarcísio Filho, Bia Seidl e Vera Zimmerman. Nilton volta a trabalhar com Lucélia Santos e Rubens de Falco - dirigiu a dupla em outro sucesso de época, a novela Sinhá moça. Osmar Prado, Othon Bastos, Jayme Periard, Lucinha Lins e Guilherme Leme estão confirmadíssimos. Há boas surpresas, como a poeta Elisa Lucinda e a atriz Bete Coelho, que fará um papel duplo. "São 39 atores, 39 egos. Se não soubermos administrar isso estamos perdidos", avalia um dos maiores craques da TV brasileira.

Voltar

Fonte: Banco de Dados TV-Pesquisa - Documento número: 27993