PUC-Rio

Voltar

Nova Consulta

Jornal/Revista: Jornal do Brasil
Data de Publicação: 29/07/1998
Autor/Repórter: [carta]

XUXA & XAXA

Se antes, de barriga, já era um porre, imaginem agora o que a mídia,brasileira vai nos fazer engolir, por um bom tempo, por conta da dupla Xuxa & Xaxa.

Chega a ser uma subserviência do jornalismo a serviço dessa moça nada humilde, cuja barriga, ostensivamente sempre à mostra (às vezes no maior frio), nos foi imposta como algo a ser adorado, idolatrado por todos e, até mesmo beijado por ridículos bajuladores de plantão. Uma indisfarçada obsessão em encarar sua gravidez como o acontecimento do século.

Não, não é. Trata-se tão-somente de mais um bebê, tão importante e comum quanto qualquer outro dos milhões que, diariamente, vêm bater neste planeta Terra - o verdadeiro, não um certo planeta X$X$.

Atrizes e cantoras de fama internacional - como Madonna e outras personalidades, de maior expressão que Xuxa - não ocuparam tanto espaço na mídia por causa da maternidade. Houve o noticiário, naturalmente, mas de forma discreta, apropriada, e não esse endeusamento, faniquito coletivo da imprensa brasileira, que, pelo visto, nem mesmo se apercebe que entra de gaiata e de graça no jogo multimilionário de enriquecimento do esquema Globo/Xuxa. Que droga, gente, reflitam sobre isso... e parem de nos enxuxar o tempo todo! [ass.] - Rio de Janeiro.

Não agüento mais ouvir falar da filha da Xuxa!! Por que essa criança tem que ser tratada como uma semideusa se ela foi feita igualzinho a todos os outros milhões de mortais (ainda que tenha sido por inseminação artificial)? Se ao menos a que se diz pai da criança fosse um bom ator e conseguisse convencer alguém ...

Por que não passam para a Xuxa assistir um filme sobre o drama da fome no Sudão? Será que isso a faria acordar um pouco e acabar com tanta frescura? Não agüento mais! Socooooorro... [ass.] - Rio de Janeiro.

Voltar

Fonte: Banco de Dados TV-Pesquisa - Documento número: 38966